5 de set. de 2020

Descarte de Medicamentos


A carência de atendimento de consultas no sistema público de saúde leva a pessoas a comprarem quantidades desnecessárias de medicamentos e que inúmeras vezes são guardadas para usar novamente, também a crença de que não é necessário procurar um médico faz com que se utilizem prescrições anteriores e a ainda a ausência de tempo para ir ao médico, o que faz com as pessoas sempre tenham em domicílios medicamentos armazenados.

É necessário maior na fiscalização e aplicação das leis ambientais já existentes, e desenvolvimento de atividades altruístas direcionadas à Educação Ambiental. 

E cabe destacar a atual realidade sanitária do Brasil, o baixo número de aterros sanitários, com infraestrutura precária, é outro fator que dificulta o tratamento adequado de resíduos de natureza biológica ou química.

As leis existentes no Brasil referente ao descarte de medicamentos são direcionadas aos estabelecimentos de saúde, não incluindo a população em geral.

Isso contribui para que a população não tenha o devido entendimento quanto aos impactos decorrentes do descarte domiciliar de medicamentos no esgoto e lixo comum.

O descarte inadequado de medicamentos não utilizados ou vencidos ou pode trazer graves consequências para o meio ambiente a população. A cada 1kg de medicamento descartado via esgoto (vaso sanitário e pias) podem contaminar 450 mil litros de água, conforme dados da companhia Brasil Health Service (BHS).

Vale ressaltar que nem toda contaminação é causada pelo descarte inadequado, pois mesmo quando utilizados os medicamentos podem causar impactos, pois alguns componentes são excretados pela urina ou pelas fezes, cerca de 50% e 90% de uma dosagem são excretados sem sofrer alterações, tornando-se persistente no ambiente.

A permanência das substancia no ambiente, causa o seu acúmulo no organismo, através do seu consumo em cadeia alimentar. Exemplo nítido é quando se consome um peixe que tenha acabado de ingerir aquela substancia. Ainda com possibilidade de ingerir da água contaminada pela substância proveniente do medicamento.

Um estudo realizado na cidade de Paulínia sobre o descarte residencial de medicamentos mostrou que 62% das pessoas descartavam os medicamentos no lixo comum, 55% descartavam até 4 quilos por ano de medicamentos. Dentre os tipos predominantes de medicamentos vencidos 39% antibióticos, 33% analgésicos, 16% anti-inflamatórios e 4% antidepressivos. E 92% não tinham informação sobre locais para descarte de medicamentos vencidos.


Medicamentos Fracionados

Conforme RDC nº. 80/2006 drogarias e farmácias poderiam vender medicamentos fracionados para de atender as demandas terapêuticas do usuário, levando em consideração as exigências ditas na prática.

O objetivo principal dessa medida era evitar as consequências de utilização decorrente das sobras (automedicação), e o desperdício de medicamentos.

As farmácias se prepararam para fazer esse tipo de venda, porém as indústrias não produziram os medicamentos aptos para serem vendidos dessa forma. 

Pois uma das exigências é que mesmo fracionado cada parte  dever ter todas as informações como: o nome do mesmo, número de lote e validade, a concentração do princípio ativo, e a forma de administração. 

A produção desse tipo de medicamento teria um custo maior para indústria,  fazer  a adaptação das embalagens e torná-las fracionáveis, isso poderia aumentar o preço do produto final.


O Papel das Farmácias no Descarte Correto de Medicamentos

A ANVISA editou 2009 em Resolução – RDC n. 44, no Art 92 e 93 menciona a participação de farmácias e drogarias em programas e campanhas de coleta de resíduos domiciliares de medicamentos realizados pelo poder púbico.

Isso veio a amenizar a ausência de regulações referente a resíduos domiciliares, sendo uma boa alternativa para o recolhimento de medicamentos e embalagens dos mesmos. Incluindo a participação desses estabelecimentos na coleta do descarte domiciliar de medicamentos, trazendo melhoria para saúde pública e meio ambiente.

Em Governador Valadares a população pode entregar medicamentos vencidos ou em desuso em uma das 10 farmácias distritais nas Estratégias de Saúde da Família fazer o descarte correto.


Leia também: Medicamentos, Remédios e Fármacos, qual a diferença?



 

Programa Descarte Consciente

O programa Descarte Consciente disponibiliza em cada farmácia participante uma coletora criada com alta tecnologia e segurança no intuito de atender as exigências sanitárias, tudo para facilitar o descarte adequado de medicamentos da população. No site é possível encontrar pontos de coletas cadastrados no programa no Brasil.


Como você descarta os medicamentos vencidos ou desuso?

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM | @eumarcyleao

MARCILENE LEÃO
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL