19 de mar. de 2021

Greenwashing - O que é? Como identificar?


Greenwashing traduzido para o português quer dizer "lavagem verde" ou "maquiagem verde". Ele pode ser praticado por políticos, empresas públicas ou privadas,  indústrias e ONGs.

Com o passar dos anos os consumidores estão cada mais preocupados com a preservação ambiental. E para conquistar estes consumidores conscientes muitas empresas tem usado o greenwhashing . 


Greenwashing é a pratica de promover anúncios, ações, relatórios, propagandas, publicidade e discursos sobre ser ambientalmente correto. Sendo comum relacionar a imagem de quem divulga essas informações à defesa do ambiente.

Porém na realidade medidas reais que contribuem com a minimização ou a solução dos problemas ambientais não são praticadas.

Fique em alerta com produtos que se autodeclaram ecofriendly ou verdes e se informe, pois você pode está sendo enganado e na pior das hipóteses colaborando com essa prática.

 E nós consumidores, precisamos saber separar as empresas ambientalmente sérias daquelas que se dizem ser.

Consequentemente, produtores e prestadores de serviço devem analisar suas estratégias de marketing utilizadas e verificar se o que a empresa oferece é realmente tão sustentável quanto o que a propaganda diz.

Neste artigo trago alguns erros cometidos por empresas ao anunciarem seus produtos sustentáveis.


Conheça os 7 erros que empresas cometem ao anunciar 
que seu produto ou serviço é sustentável.


1 - Custo ambiental camuflado

Mostrar somente o aspecto ambientalmente favorável não significa que o produto seja sustentável. É preciso analisar todos os aspectos, como todo o ciclo de vida da mercadoria.


2 - Falta de provas

As informações apresentadas devem ser atestadas por uma terceira parte, normalmente, por um órgão governamental de fiscalização ou instituições reconhecidas na área.


Exemplo: uma marca traz em sua embalagem a informação de que reflorestamento,  mas essa informação não está certificada por uma terceira parte.


3 - Generalidade

Termos genéricos como “ecologicamente correto”, “totalmente natural", ou dizer apenas “sustentável” é muito vago e não demonstra a empresa realiza efetivamente para que ela seja considerada sustentável.


4 - Rótulos falsos

Ícones parecidos a selos ambientais são colocados na embalagem ou nas peças de publicidade, passando a impressão de que o produto é certificado por terceiros mas,  na verdade, é mais uma informação do fabricante.


5 - Irrelevância

Informações ainda que verdadeiras não trazem um diferencial ecológico do produto - mas induzem a entender que sim. 

Um exemplo clássico acontecia há alguns anos,  marcas de desodorantes aerossóis colocavam nas embalagens que produto não continha CLOROFLUORCARBONO.

E isso é uma verdade, porém os CFCs foram  proibidos no Brasil em 1988, portanto, destacar isso no produto é totalmente irrelevante.


6 - Mal menor

Quando a empresa encobre os danos ambientais graves relacionados à sua atividade. Se declara como menos poluidor ou destruidor que a concorrência. Distraindo o consumidor sobre os problemas ecológicos envolvidos.

7 - Mentira

O uso da má-fé, passando informações que não condizem com a verdade, gerando a sensação de que a empresa possui consciência ambiental.

Fique atento e não caia no 
greenwashing, exija dos seus fornecedores ou dos seus prestadores de serviço as cerificações ambientais que comprovem o empenho para preservar os recursos naturais.

Existem vários certificados, como selo de orgânicos para alimentos e os selos da ISO 14000, por exemplo.


Você já percebeu greenwashing (maquiagem verde) em produtos ou serviços? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM | @eumarcyleao

MARCILENE LEÃO
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL